domingo, 3 de julho de 2016

FOTOS, PROGRAMAS DE EVENTOS



Programa do evento realizado em parceria com o PRÓ-ADOLESCENTE da UERJ.



Jornal produzido por um grupo da UERJ




As marcas nos corpos adolescentes do Sistema não são apenas produzidas pelos próprios, diretamente. O jovem da foto mostra a enorme cicatriz que tem em sua cabeça, fruto de uma coronhada ao ser apreendido pela Polícia do Rio de Janeiro/PMERJ. Foi apreendido pelo envolvimento com o tráfico de drogas da área em que morava. Permitiu que eu fizesse o registro fotográfico, mas sentia-se incomodado em relação à marca, era um jovem, arredito, silencioso, mas acessível e crítico, apesar de poucos amigos, ali.




Segundo este adolescente, o número quinze refere-se ao número da facção na área. Seriam as áreas pertencente a este Comando (Vermelho), na cidade do Rio de Janeiro.



Evento do Projeto OCORPO no Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ  -  Praia Vermelha  - com a participação de acadêmicos desta Instituição e equipe do Projeto.








"PAZ, JUSTIÇA E LIBERDADE", slogan do Comando Vermelho. Os adolescentes fotografados desconhecem a origem da frase que inscrevem em seus corpos, só sabem que é o "lema do Comando".




Exemplo de tentativa de sair deste universo marcado pela relação com o crime organizado. Este jovem fazia uma tatuagem de pássaro, quando foi apreendido. Disse a mim, que quando saísse, iria terminá-la e nunca mais voltaria para aquele lugar. Intimamente, torcíamos para que estivesse certo, embora a reincidência fosse acentuada nos últimos anos.





Último evento organizado em instituições, com exposição de fotos e debate aberto.
Instituição voltada para as questões femininas, convidamos as lideranças dos movimentos de mães e pais de adolescentes infratores, representantes de mais de uma associação, inclusive com abordagens diferentes entre si. Como já foi dito, a adesão foi pequena, em grande parte, pela falta de recursos materiais das mulheres, para estarem presentes e discutir a estreita relação existente entre adolescentes do sexo masculino com suas mães, avós, madrinhas, vizinhas, companheiras, namoradas, filhas, etc.

  
A ex-delegada, ex-secretária de segurança e parlamentar Marta Rocha, presidia a referida instituição à época, início dos anos 2000. Ela teve a sensibilidade e cuidado de manter o evento, contrariando uma "sutil" recomendação da direção do Degase, também à época, do militar reformado, Sérgio Novo. Este digníssimo senhor, tentou sem sucesso, punir-me com um processo administrativo, alegando inclusive, a um juiz especializado em Infância e Juventude, que os recursos materiais do Projeto OCORPO não seriam nossos, mas sim do Degase, o que se provou, mas o fato desagradável permaneceu em nossa memória mental e corporal: o medo e a necessidade de ultrapassá-lo.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário